Imprima sua Nota Fiscal | 32 3311-4466
Whatsapp Tranplante: 32 98501-0837
Whatsapp Dermatologia: 32 98500-8750

TRANSPLANTE DE CABELO

Experiência e tecnologia de ponta

DR

Dr. João Mansur especialista em dermatologia e em cirurgia plástica, Pós Doutorado na Universidade da Califórnia com 42 anos de experiência em transplante de cabelo e sua filha Dra Leonora Mansur cirurgiã plástica se mantém atualizados.

LEONORA MANSUR - LAS VEGAS

Dra. Leonora na ISHRS – International Society of Hair Restoration Surgery em Las Vegas – 2016

QUEM SOMOS

Tudo começou com o casal de médicos Dr. João de Souza Mansur e Maria Cristina Mansur. Ambos fizeram residência de no Hospital das Clinicas da USP, mestrado na UFF, doutorado na UFRJ e Pós-doutorado na Universidade da California, tendo sido aprovados pelo ECFMG da American Medical Association para exercerem medicina nos EUA. Em 1977 já faziam transplante de cabelo no Hospital da Universidade da Califórnia. Ao voltarem para o Brasil se estabeleceram em Juiz de Fora, onde, após muitos anos de trabalho, se aposentaram como professores concursados da Universidade Federal de Juiz de Fora.

TRADIÇÃO EM LASER

Em 1996 o casal de médicos importou de Israel o primeiro lasers CO2 para transplante de cabelo da Sharplan e em 2004 publicaram o primeiro artigo científico brasileiro sobre transplante de cabelo com laser na revista médica Anais Brasileiro de Dermatologia.  Em 1999 importaram o seu primeiro laser de Alexandrita para depilação e fundaram a GLAS. uma rede de Depilação a Laser com unidades em Brasília, Belo Horizonte, Juiz de Fora e Rio de Janeiro, atendendo em média 3000 pacientes de depilação a laser por mês. Foram também pioneiros em 2002, quando importaram o primeiro Dye Laser da América do Sul para tratamento de hemangioma (mancha vinho do Porto) e cicatrizes hipertróficas.  Hoje a equipe médica conta também com a Dra Leonora Mansur que é médica Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Link do artigo: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962004000200008

HOSPITAL DIA

Durante anos realizávamos transplante de cabelo e outros tipos de cirurgia plástica estética em nosso Hospital Dia. Com 42 anos de experiência em transplante de cabelo, com vários instrumentos inventados e com a sua vasta experiência em  tecnologia a laser, Dr. João Mansur e Dra Leonora Mansur passaram a se dedicar exclusivamente a este tipo de cirurgia, enquanto a Dra. Maria Cristina Mansur cuida da parte de Dermatologia.

Hoje no setor de transplante de cabelo somos uma equipe com 4 médicos e 28  enfermeiras.  Fazemos 4 transplantes de cabelo todos os dias. Nosso hospital dia está instalado em um prédio próprio de 9 andares no centro da Cidade de Juiz de Fora, onde ocupamos 4 andares.  O prédio tem acessibilidade e elevador para maca.  O centro cirúrgico fica o último andar.  Com 4 salas de cirurgia, é super bem aparelhado, tendo inclusive respiradores, monitores e médico anestesiologista presente.

AVALIAÇÃO INICIAL

Envie fotos pelo Whatsapp  032 98501-0837  retiradas a 40 cm de distância na horizontal (não pode ser de cima para baixo e nem de baixo para cima). Precisamos visualizar a área a ser implantada e a zona doadora, sendo a foto mais importante  a que é feita por trás pegando na mesma imagem a nuca e o topo da cabeça.

COMO AGENDAR 

Para agendar basta nos enviar nome completo ,seu email, peso, altura e a época desejada,  o para que possamos agendar e lhe enviar os pedidos de exames pré-operatórios.

Os resultados dos exames deverão ser enviados para nós pelo Whatsapp.  É necessário que o IMC (índice de massa corporal) esteja abaixo de 33.

Um questionário sobre a sua saúde, que lhe será enviado  deverá ser respondido o mais breve possível.

Não há necessidade de pagamento antecipado para fazer o primeiro agendamento, porém, quando o paciente cancela a cirurgia com menos de 7 dias de antecedência sem um motivo de força maior, cobraremos sim uma taxa para fazer o reagendamento, para cobrir parte do prejuízo causado.

 

O agendamento ficará automaticamente cancelado:


1 – Se houver anormalidades nos exames pré operatórios e no questionário

2 – Por falta de informação com uma semana de antecedência dos  resultados dos exames e do questionário,

3 – Por falta de confirmação: caso o paciente não responda os nossos telefonemas e mensagens de confirmação da cirurgia.

COMO CHEGAR

Embora Juiz de Fora esteja em Minas Gerais, ficamos longe de Belo Horizonte (4 horas e meia de ônibus)  e perto do Rio de Janeiro (3 horas de ônibus).  Existem duas opções para quem chega de avião: vir para o aeroporto de Juiz de Fora (IZA) ou ir para o Rio de Janeiro de avião e depois pegar um ônibus do Rio para Juiz de Fora.  Esta segunda opção ser muito mais barata.

Nosso aeroporto (IZA) tem voo diário, exceto aos sábados, da Gol (conexão em  São Paulo. 50 minutos de voo) e da Azul (conexão em Campinas. Uma hora e 20 minutos de voo). Ele fica a uma hora do de distância do centro da cidade.  O preço da passagem de ônibus do aeroporto até a nossa rodoviária é  R$ 14,00 e o Uber da rodoviária até onde estamos, no centro de Juiz de Fora,  custa R$ 12,00.

CHEGAR NA VÉSPERA  

Paciente deve chegar um dia antes da cirurgia para:

1- Consultar

2- conhecer o nosso Hospital dia.

3- conversar com os pacientes operados naquele dia

4-fazer fotos

5-raspar a cabeça.  Não raspe o cabelo antes de vir, porque o cabelo é necessário para fazermos o plano cirúrgico. Traga um boné

Chegar antes das 14 hs na véspera  é o ideal para que você possa  conversar com os pacientes operados naquele dia, pois como nossa cirurgia é muito rápida, alguns pacientes têm alta às 14 hs.

No dia seguinte o paciente opera e no outro dia após a cirurgia ele já pode viajar, podendo dirigir.  Assim sendo, você  passará apenas  “duas noites” aqui na cidade. Quase enfrente ao nosso hospital-dia há dois hotéis: o Constantino e o Ritz e a 800 metros está o hotel Maxim, sendo o Constantino um dos melhores hotéis da cidade, que pode ser consultado e agendado também pelos sites hoteis.com e booking.com… etc.

ANESTESIA LOCAL COM SEDAÇÃO 

A sedação é muito importante por 3 motivos:

 1- O paciente tem um sono agradável, mas continua com a capacidade de responder e mudar de posição.  Assim termina a cirurgia descansado.. Não é anestesia geral. 

 2-Náo sente as dores das picadas da anestesia local,

 3- Abaixa a pressão arterial   Esta é a principal vantagem do   medicamento da sedação, que é injetado por uma bomba computadorizada, cuja velocidade de injeção é ajustada pela anestesiologista para que a pressão arterial  máxima fique entre 8 e 10. Isto é muito importante, porque assim o transplante sangra muito menos, o sangue não levanta as mudinhas implantadas reduzindo o tempo de cirurgia.

A CIRURGIA

Começa por volta das 7 hs da manhã. Dura, em média, 6 horas.

1.FURAÇÃO A LASER

Depois que o paciente estiver sedado e anestesiado, fazemos a furação (as covinhas) na área a ser implantada com laser. Cada disparo do laser faz até 50 covinhas de uma vez, ao contrário da furação  com bisturi, com agulha ou com implantadores tipo Choi, DHL etc, que é feita uma a uma.  Assim o laser reduz tremendamente o tempo de cirurgia.  Isto é muito importante, porque as mudinhas ficam menos tempo na geladeira esperando para serem implantadas e a redução no tempo de cirurgia reduz o custo, que leva a uma dedução no preço da cirurgia.  Portanto nossa cirurgia tem um preço menor graças à nossa tecnologia..

2.TÉCNICAS PARA OBTENÇÃO DOS FOLÍCULOS:

–  FUE. Indicado para transplante de até 2000 folículos

FUE significa “Follicular Unit Extraction”, Consiste em retirar salpicadamente mudinhas, também chamadas de unidades foliculares, na parte de traz e lateral da cabeça e eventualmente da barba, usando um motor com tubinho giratório  de 0,8 a 0,9 mm de diâmetro. Cada mudinha  tem de 1 a 3 fios ou folículos em média 2, Não confunda folículos( que só tem um cabelo) com unidades foliculares ( mudinha com vários folículos ou cabel0s).  . Como  os cabelos retirados não nascerão mais na zona doadora, a retirada fica limitada a 25 por cento dos cabelos da região, caso contrário a zona doadora ficaria com pouco cabelo, como acontece nos pacientes que operam na Turquia.

–  FUT (faixa)

Uma faixa de couro cabeludo com mais ou menos 1,4 cm x 18 cm é retirada em 15 minutos da parte posterior da cabeça e o couro cabeludo é suturado, ficando a área da faixa substituída por apenas uma linha de sutura. Em seguida uma equipe disseca e separa as unidades foliculares na mesa com  microscópios com aumento de 10 vezes, aproveitando  100% dos cabelos que estão na faixa;  Na maioria das vezes, o paciente anestesiado e sedado não percebe a retirada da faixa, porque ela é muito rápida e indolor. FUT é uma cirurgia custo operacional maior para o médico do que a do FUE, porque o FUT necessita uma equipe de 8 pessoas na equipe, requer sala de cirurgia sofisticada e o médico  precisa ter habilidade e experiência cirúrgica para retirar a faixa em 15 minutos, Na grande maioria dos nossos pacientes a cicatriz fica quase perceptível e, na eventualidade de alargamento, fazemos transplante de FUE na cicatriz sem cobrar e sem raspar toda a cabeça. Transplantes com FUT realizados no passado são muito diferentes dos atuais, pois a cicatrização é melhor e a quantidade de cabelo obtida é maior do que no passado.

–  FUT + FUE combinados  

É indicada para transplante em grandes áreas, porque dobra a quantidade de cabelo transplantado. Aproveita a vantagens das duas técnicas.  

 Por ser mais recente  a técnica do FUE  é muito badalada , dando a impressão de que ela é a melhor, mas cada técnica tem as suas vantagens e se complementam. FUE é uma cirurgia de baixo custo operacional para o médico, porque necessita uma equipe de apenas 3 pessoas. Não requer sala de cirurgia sofisticada e o médico não precisa ter habilidade e experiência cirúrgica. Como as unidades obtidas pelo FUE são mais magras por não possuir tecido ao redor como ocorre nas do FUT, com o FUE é possível implantar os cabelos com mais densidade, isto é, mais próximas uma das outras.  Isto só é importante  na frente, porque a densidade alta  consome muitas unidades, sobrando menos cabelo para o restante da cabeça. Por exemplo, quando empregamos uma densidade de 50 unidades por cm2, uma faixa de 1 cm por 10 cm consumirá 500 unidades (+-1000 folículos). Em pacientes em que a área a ser implantada é pequena o FUE é bem indicado, mas se a área de calvície for grande e empregarmos alta densidade na frente  não sobrará cabelo para a parte de trás. No FUE sozinho temos implantado no máximo 2000 unidades (+- 4000 folículos), isto é bem menos do que empregando as duas técnicas cobinadas.

 Com as duas técnicas combinadas é possível implantar o dobro da quantidade de cabelo, do que se implanta com uma técnica.

No FUE sozinho são empregadas 2 pessoas coletando as unidades uma a uma com um motor, enquanto na técnica combinada são empregadas 7 pessoas coletando unidades, sendo 5 nos microscópios dissecando a faixa e 2 retirando FUE na cabeça do paciente.  

Empregando as duas técnicas sobra mais zona doadora para o futuro.  Os cabelos retirados em ambas as técnicas não nascem novamente onde eles foram removidos. O FUT aproveita 100% dos folículos que estão na área da faixa, enquanto o FUE só aproveita 20 a 30% da área, portanto este consome e abrange uma área muito maior do que a do FUT.  Muitas vezes obtemos  2000 unidades (+- 4000 foliculos) na faixa, que após suturada,  se transforma em uma linha.  Se tivéssemos retirado FUE na área onde foi retirado o FUT teríamos obtido 500 unidades (1000 folículos), tendo obtido, assim, +- 3000 folículos a mais na mesma região.  Empregando as duas técnicas a cirurgia termina  deixando uma  reserva de folículos para o futuro, o que é importante nos casos de calvície extensa e nos pacientes jovens com tendência a ter uma área a ser transplantada no futuro.  

O preço é o mesmo, independente do fato de se empregar uma ou as duas técnicas.


PÓS- OPERATÓRIO

Lavar a cabeça: no dia seguinte, exceto aos sábados, o paciente pode retornar para lavar a cabeça, que é fácil de fazer e não requer xampu especial. 

Boné é liberado inclusive no dia da cirurgia.

O que o paciente pode ou não fazer: Dois parâmetros são importantes para definir: a dor e o sangramento; Tudo o que não dói e não sangra pode ser feito.

O ideal é viajar no dia seguinte após a cirurgia porque o soro que é injetado na área do transplante durante a cirurgia só desce para os olhos no terceiro dia e ali permanece até o sexto dia. Assim sendo, o ideal é, enquanto os olhos ainda não incharam.

6 dias é o tempo de cicatrização da área doadora: Os orifícios do FUE já estarão fechados com 6 dias e os pontos do FUT, se for o caso,  devem ser retirados com 6 dias.  

A retirada dos pontos é bem simples. Nós damos um vídeo que mostra como retirar os pontos e uma lâmina de bisturi, que permite a retirada na sua cidade até mesmo por uma pessoa leiga habilidosa com 6 dias.

Na área transplantada as casquinhas dos implantes caem com 10 dias e, junto com elas, caem as hastes dos cabelos transplantados.  As matrizes entram em faze de descanso e voltam a produzir novas hastes a partir do 4 mês.

 A avaliação final deve ser feita com um ano, com os cabelos transplantados com mais de 5 cm de comprimento e penteados de lado ou para trás.



O PREÇO

Muitas pessoas estanham o fato do nosso preço ser muito mais barato. Nem sempre o mais caro é o melhor, pelo contrário tecnologia leva a uma redução no preço.  A explicação é a seguinte:

Tecnologia → Redução do tempo de cirurgia → Menor custo → Redução no preço

Dividimos no cartão de crédito em até 10 vezes com 5% de acréscimo  e emitimos nota fiscal do nosso hospital dia, que pode ser abatida no imposto de renda como tratamento médico.


ENVIE SUA FOTO PARA MAIS INFORMAÇÕES E ORÇAMENTO 

Whatsapp: 32 98501-0837
Instagram: @mansurtransplantecapilar