Imprima sua Nota Fiscal

LASER DE CO2 FRACIONADO

O que é ?

Consiste em fazer milhares de pequenos furinhos na pele com menos de 1 milímetro de distância entre eles.  É  semelhante ao jato de areia usado para ofuscar vidro, porém no lugar de grãos de areia é usado laser.  O termo fracionado significa que o laser não retira toda a pele, pois entre os furos ficam fragmentos de pele intacta cujas células se multiplicarão acelerando a recuperação celular da epiderme.  Através dos furinhos ocorrerá cicatrização que preencherá a pele com a formação de colágeno novo, dando à ela uma textura de pele jovem.

Em todo processo de cicatrização formam-se novos vasos sanguíneos, dando à pele um aspecto avermelhado nos primeiros meses.

 

Qual a diferença do LASER de Co2 utilizado no passado para o Co2 fracionado?

O LASER de Co2 tradicional provoca uma queimadura em toda a superfície da pele que posteriormente apresenta a cicatrização a partir dos folículos pilosos e das glândulas sebáceas.

Após a recuperação a pele apresenta-se revigorada com a eliminação ou melhora das lesões de doença dermatológicas e dos sinais de envelhecimento. Apresenta resultados fantásticos, mas com uma recuperação muito lenta e com alto risco de alterações de coloração da pele (principalmente de manchas brancas). Hoje o LASER de CO2 tradicional é utilizado preferencialmente em lesões localizadas quando se pretende uma ação mais efetiva e radical em uma pequena área, procedimento onde este tipo de LASER continua sendo muito útil.

O LASER fracionado é uma técnica relativamente nova que procura associar o benefício do LASER de CO2, já usado com sucesso no passado com a finalidade de rejuvenescimento, com a vantagem de uma recuperação mais fácil e segura, mantendo os bons resultados. Isso porque o principio do LASER fracionado é a criação de “colunas térmicas” (microzonas térmicas) de energia que vaporizam a pele, deixando entre essas colunas porções de pele não acometida, o que possibilita que a cicatrização seja feita não só pelas glândulas sebáceas, mas também pelos micro-enxertos que foram deixados, permitindo uma cicatrização mais rápida com menor risco de discromias e consequentemente um pós-operatório melhor tolerado.

A energia que é emitida pelo LASER em colunas, além de agir diretamente sobre a pele doente ou envelhecida se propaga lateralmente e age mais amplamente sobre o tecido levando a um estímulo da produção de colágeno, uma das estruturas responsáveis pelo “turgor” e qualidade da pele. Quanto maior a energia do LASER, maior a profundidade da coluna. Essa dinâmica consegue melhorar cicatrizes e rugas mais profundas, difíceis de serem alcançadas por outros métodos.

Uma grande vantagem é que o equipamento possui além do LASER fracionado um LASER de CO2 tradicional, que pode ser utilizado seletivamente. Assim, por exemplo, podemos utilizar o LASER fracionado em toda a face, e seletivamente em lesões que se pretende eliminar marcas mais profundas utilizar o LASER de CO2 tradicional, conseguindo deste modo associar os benefícios das duas técnicas.

co2

Como é a recuperação?

Nos primeiros 5 dias a pele fica com micro-casquinhas ou crostas amarronzadas e a região apresenta um edema importante. Como as células cicatriciais precisam se movimentar, deve ser mantido sobre a pele um pano molhado durante o dia e aplicado um creme hidratante, tipo creme Nivea, à noite. Pacientes reclamam mais incomodo do que dor.

No sexto dia as casquinhas começam a se soltar, sendo substituídas por uma pele de aspecto  avermelhado como se a pele tivesse sido queimada pelo sol.  Esta vermelhidão diminui progressivamente do segundo ao sexto mês. Não é bom que ela diminua muito rapidamente, porque significa a formação de colágeno novo.

 

Quando poderei me expor ao sol ?

Paciente deve permanecer na sombra nos primeiros dias.  Filtro solar poderá ser usado depois que caírem as crostas e a pele estiver vermelha.  O mais importante é ficar na sombra, porque a pele nova ainda não tem o pigmento natural melanina que nos protege do Ultra violeta do sul. Este pigmento surgirá à medida que for desaparecendo a vermelhidão.

 

 É preciso varias sessões?

Quando aplicado com pouca energia sim.  Quando aplicado com muita energia não.
Na cirurgia plástica aproveitamos a anestesia geral para empregar o laser com alta intensidade para atingir a pele  profundamente, gerando mais colágeno do que quando realizado com anestesia local pelos Dermatologistas.   Como o dano térmico será maior, o edema (inchaço) e a vermelhidão no pós operatório serão maiores do que quando realizado com anestesia local no consultório, mas a vantagem da aplicação única e maior formação de colágeno devem ser consideradas.   Recomendamos a repetição só uns dois anos depois.

 

O laser substitui a cirurgia da face?

Não. Ele é freqüentemente utilizado em associação ao lifting facial. Isso porque a cirurgia reposiciona os tecidos profundos da face e remove o excesso de pele, mas não trata sua superfície. A cirurgia trata as estruturas profundas e o LASER faz o polimento na pele. Por isso a combinação do LASER com a cirurgia é o ideal para o rejuvenescimento da face.

 

Orçamento gratuito para Cirurgia Plástica: Segundas e Quintas-Feiras.

Agendamento: (32)3311-4477 ou clique em “Agendar”.